21 de fevereiro: Debate “A importância da língua materna na prevenção à violência contra crianças e adolescentes migrantes no Brasil”

Dia 21 de fevereiro, o NEV abre sua agenda de eventos do ano de 2022, às 18h, com um debate online sobre a importância da língua materna na prevenção à violência contra crianças e adolescentes migrantes. Organizada pelo NEV na qualidade de Centro Colaborador da Organização Mundial de Saúde (OMS), a atividade de é organizada por Marcelo B. Nery e Maíra Teixeira (Lila), que já contam com uma vasta agenda prevista para o ano de 2022, a ser publicada em breve no site do Núcleo.

Neste debate de 21 de fevereiro, no canal do NEV no Youtube, haverá a participação de dois palestrantes: Artur Oriel, doutorando em Ciências Humanas na Linha Corporalidades, Alteridades, Territórios e Modos de Existência pelo Programa de Pós-Graduação Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades da FFLCH-USP), e Paulo Farah, Professor da FFLCH, Mestre e Doutor em Linguística e Teoria Literária pela USP, com especialização e Pós-Doutorado em Egito, Síria e Kuaite, coordenador do Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) Brasil-África da USP e do Grupo de Diálogos Interculturais do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP.

21 de fevereiro: evento NEV-OMS no Youtube

 

Artur Oriel
Doutorando em Ciências Humanas na Linha Corporalidades, Alteridades, Territórios e Modos de Existência pelo Programa de Pós-Graduação Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (Diversitas-FFLCH-USP). Mestre em Educação na Linha Educação e Ciências Sociais pela Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (FE-UNICAMP). Especialista em Sociopsicologia pela Escola Pós-Graduada de Ciências Sociais da Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo (FESP-SP). Letrólogo. Pedagogo. Professor da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SME-SP). Integrante do Grupo de Pesquisa Temáticas, narrativas e representações árabes, africanas, asiáticas e sul-americanas e de comunidades diaspóricas (USP/CNPq) e do Núcleo de Apoio à Pesquisa NAP Brasil África (USP/CNPq).

Paulo Farah
Professor da FFLCH-USP desde 2000, com formação em Letras, História e Cultura, com foco em estudos árabes e africanos, narrativas de viagem, representação, orientalismo, migração e refúgio, islamismo e manuscritos. Mestre e Doutor em Linguística e Teoria Literária pela USP, com especialização e Pós-Doutorado em Egito, Síria e Kuaite. É Coordenador do Núcleo de Apoio à Pesquisa (NAP) Brasil-África da USP, coordenador do Grupo de Diálogos Interculturais do Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP, vice-coordenador do Programa de Pós-Graduação em Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades/USP e diretor do centro de pesquisa Bibli-ASPA. É autor de diversas obras, como Deleite do estrangeiro em tudo o que é espantoso e maravilhoso: estudo de um relato de viagem bagdali; O Islã; Gramática da Língua Árabe para Estudantes Sul-Americanos’ Diálogos e Resistências: a África no Brasil e o Brasil na África (editor e autor). Traduziu vários livros do árabe para o português.