29/11/22: Evento nesta quarta, 30, lança ferramenta sobre violência contra jornalistas

Base de dados automatizada da série histórica dos Relatórios de Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ)

 

Com informações da ECA-USP

“Assédios e violências contra o jornalismo, seus profissionais e comunicadores têm sido uma constante na sociedade brasileira, desde a época colonial. A evolução destes processos e a própria transformação dos atores sociais ganhou dimensões significativas com a digitalização, a plataformização da comunicação,  recentes eventos político-eleitorais e a crise pandêmica da Covid19 em 2020 e 2021. No índice global de Liberdade de Imprensa, elaborado pela Repórteres Sem Fronteiras (RSF), o Brasil ocupa em 2022 o 110º lugar entre 180 países, caracterizando uma posição sensível entre os 10 piores países da América Latina para o exercício da profissão.”

Neste contexto, a Daniela Osvald, Pesquisadora Associada ao NEV e Professora da Escola de Comunicações e Artes da USP (ECA-USP) organiza, em conjunto com Elizabeth Saad, também professora da ECA, o evento de lançamento, nesta quarta-feira, 30, ao meio-dia, de uma nova ferramenta de pesquisa, que automatiza a busca e o cruzamento de dados da série histórica dos Relatórios de Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ).

Além das organizadoras, o evento, online, transmitido pelo canal da ECA-USP. contará com a presença de Samira de Castro, Presidente executiva da FENAJ; Maria José Braga, jornalista e ex- Presidente FENAJ; Marcelo Soares, jornalista e diretor do estúdio de inteligência de dados Lagom Data e membro do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos (ICIJ).

A criação da iniciativa é um dos resultados de um convênio de mobilidade de pós-graduação docente e discente internacional Safety Matters: research and education on the Safety of Journalists, em parceria com a Oslo Metropolitan University (Noruega), University of the Witwaterstrand Johanneburg (África do Sul) e a University of Tulsa (EUA), financiado pelo Research Council of Norway. A iniciativa reúne ainda os grupos de pesquisa Observatório de Comunicação, Censura e Liberdade de Expressão (OBCOM) e COM+ (Comunicação, Mídia e Jornalismo digital).

A ferramenta é bilíngue (português e inglês), gera gráficos que localizam as ocorrências nos Estados do país, bem como um gráfico de barras que compara padrões ao longo dos anos, como mostra um print de tela ilustrativo:

 


Reprodução / Daniela Osvald