As 10 #Hashtags mais frequentes no Twitter veiculadas por congressistas no ano passado

Autores: Erick Gomez Nieto, Gustavo Higa, Marcos Alvarez, Pedro Rolo Benetti, Efrain Garcia Sanchez

Como tem sido analisada em notas, a dinâmica no parlamento brasileiro não se limita unicamente à divulgação de informações no espaço restrito do Congresso. O fluxo e intercâmbio de comentários, de todo o tipo, circula – inclusive com maior velocidade – pelas redes sociais. Neste sentido, o Twitter tem se convertido na voz oficial de muitos atores políticos, incluindo os parlamentares do Congresso.

Durante a nossa pesquisa sobre o discurso político no parlamento brasileiro, temos analisado diferentes características da comunicação via Twitter. Na presente reflexão, mapeamos os Hashtags para identificar quais foram alguns dos tópicos mais comentados no ano 2019 pelos membros do Congresso.

Formalmente, o símbolo (#), também chamado de number sign ou hash, que aparece no teclado do computador ou celular [1], é comumente usado como abreviatura para representar a palavra “número”, quando o símbolo está inserido num texto imediatamente antes de um. No entanto, no contexto de redes sociais, ele tem sido usado para descrever o tópico geral de uma mensagem. Por meio de tal recurso, é possível rapidamente encontrar todas as mensagens que se referem a um mesmo tópico (por exemplo: #DiaIndependencia, #marketing, #DireitosHumanos, #Violencia etc). Isso significa que podemos realizar buscas por assuntos e identificar os mais mobilizados em determinado momento (os Trending Topics). Assim, esse símbolo tem acompanhado também muitas das comunicações oficiais no ambiente político do Brasil.

A seguir, comentamos algumas das descobertas mais destacadas acerca dos hashtags durante cada mês do ano 2019 no Congresso Brasileiro. Para isso, nos apoiamos num conjunto de gráficos interativos apresentados abaixo. O primeiro apresenta, numa linha temporal, a dinâmica de cada um dos 10 # mais usados em cada mês e como eles mudam ao longo do ano. Por exemplo, a hashtag #LulaLivre aparece dentro dos top 10 mais usados pelo Congresso durante a maior parte do ano. No entanto, alguns outros como #LutePelaSuaAposentadoria ou #30MPelaEducacao tem aparecido unicamente durante um mês, no caso, fevereiro e maio respectivamente. Por outro lado, nota-se casos interessantes, como o #CensuraNuncaMais ou #Equipe, que aparecem em diferentes períodos de tempo no 2019.

As redes sociais permitem o entrecruzamento de um grande fluxo de mensagens que circulam de forma muito rápida; postagens, respostas e compartilhamentos se dão quase instantaneamente. Apesar da diversidade, tais comentários não são aleatórios ou isolados, longe disso: são carregados de sentidos e situados em contextos históricos e sociais. Determinados episódios são capazes de mobilizar a intensidade de assuntos novos (#CadêOQueiroz) ou passados (#DitaduraNuncaMais), como vimos acima. Tendo isso em mente, o segundo gráfico apresenta uma linha temporal onde destacamos algumas datas dos episódios decorridos e as hashtags impulsionadas, como por exemplo, #ReformaDaPrevidência, #QuemMandouMatarMarielle ou #VazaJato, por mencionar algumas delas.

Uma característica importante do uso de hashtags no Twitter é que, em geral, os usuários costumam realizar buscas a partir delas, ou seja, a fazem de acordo com os assuntos de interesse e não necessariamente visando acompanhar a pessoa que o publica. Isso possibilita o maior alcance da mensagem, que pode chegar a públicos que não estão seguindo o emissor e muitas vezes sequer o conhecem.

De acordo com os dados reunidos, os atores relacionados à assim chamada “esquerda” são os que mais utilizam hashtags, predominantemente com assuntos de oposição ao governo. Essa estratégia de divulgação dá maior ênfase ao tema em questão e não a uma figura específica. De outro modo, a “direita”, apesar de ser bastante ativa no Twitter, faz menos uso do recurso, preferindo uma estratégia de comunicação mais endógena e personalista, baseada na provocação e no desafio aos adversários, conforme apresentamos na nota Redes sociais e produção de discursos políticos no parlamento brasileiro: Uma aproximação a partir das interações no Twitter. O gráfico a seguir, como uma primeira aproximação, descreve a distribuição dos 10 hashtags mais usados por mês. Eles foram divididos em: Esquerda, Direita, Mandato Parlamentar ou Evento (político/social).

Partindo de análises da intensidade do uso de Hashtags nos perfis dos parlamentares, podemos acompanhar a movimentação de determinados tópicos e, dessa forma, aprofundar a análise das estratégias de comunicação e de engajamento de diferentes setores políticos.

Referências
[1] https://dictionary.cambridge.org/us/dictionary/english/hashtag