Atividades da ANPOCS coordenadas pelo NEV recebem propostas

Para o próximo encontro anual da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS), a ser realizado entre os dias 08 e 11 de setembro de 2020 na Universidade Federal do ABC (UFABC), em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, três atividades coordenadas por pesquisadores do NEV estão recebendo propostas de trabalho até o dia 04 de maio.

O Grupo de Trabalho (GT) nº 47, intitulado “Violência, punição e controle social: perspectivas de pesquisa e de análise”, coordenado por Marcos César Alvarez (NEV/USP) e Edmilson Lopes Junior (UFRN), está voltado para a centralidade da punição como instituição social, transversal às diversas dimensões da vida em sociedade. Como tentativa de resposta e de regulação da violência e como instauradora de discursos e de práticas estruturantes no que diz respeito à ordem social, ao tema da autoridade, às questões das moralidades, aos valores na vida social, a abordagem crítica da punição busca problematizar e avançar no que diz respeito a temas tradicionais ou inovadores nas Ciências Sociais, tais como: balanços teóricos e metodológicos sobre a tradição de estudos sobre desvio, violência e punição; pesquisas de reconstituição histórica e institucional dos saberes envolvidos com a questão da punição; pesquisas empíricas sobre o sistema de justiça criminal, tomado como espaço de elaboração de representações e de formas de exercício de poder; estudos sobre instituições de confinamento, tanto para jovens, quanto para adultos; pesquisas sobre as tendências da punição na contemporaneidade e seus efeitos para além das instituições punitivas; estudos sobre discursos e representações envolvendo o crime e a punição, quer na atualidade, quer em perspectiva histórica.

O GT nº 24, por sua vez, intitulado “Mercados ilícitos e dinâmicas criminais” e coordenado por Luiz Fábio Silva Paiva (UFC) e Camila Caldeira Nunes Dias (UFABC e NEV/USP), está centrado no campo de estudos sobre os mercados ilícitos e as dinâmicas criminais e pretende reunir pesquisas empíricas e teóricas sobre múltiplas facetas do fenômeno do crime, especialmente, aquelas que se debruçaram sobre causalidades e efeitos de dinâmicas criminais. É objetivo dessa proposta abordar distintas territorialidades (prisões, espaços urbanos, fronteiras, portos, aeroportos etc) e as articulações entre esses espaços, construídas e reconstruídas por atores sociais, estatais e criminais, agências institucionais e comunidades e pelas mercadorias em circulação. Busca-se construir uma reflexão sobre as situações e circunstâncias históricas que contribuíram para estruturar diversos mercados ilegais cuja forma envolve circuitos que transformaram realidades sociais no Brasil, na América Latina e no mundo.

Finalmente, o Simpósio de Pesquisa Pós-Graduada (SPG) de nº 25, “Instituições de privação de liberdade: punição e controle social”, coordenado por Juliana Vinuto Lima (UFF) e Bruna Gisi Martins de Almeida (NEVUSP), almeja fomentar a interlocução entre pesquisadores interessados em discutir as múltiplas configurações que a privação de liberdade apresenta contemporaneamente. Espera-se estabelecer diálogos entre trabalhos que se debruçaram sobre diferentes instituições privativas de liberdade, como prisões, instituições de medida socioeducativa, hospitais de custódia e tratamento psiquiátrico e demais tipos de cárcere cujo objetivo é a punição de indivíduos, ainda que suas características organizacionais e discursos oficiais sejam diversos. Assim, espera-se promover uma área de pesquisa que, a partir do contraste entre contextos em que a reclusão compulsória é a característica central, se atente para as dimensões fundamentais e comuns da privação de liberdade como meio de controle social de indivíduos selecionados pelo sistema de justiça criminal. Interessa discutir especialmente: novas perspectivas teóricas sobre instituições de privação de liberdade; questões éticas e metodológicas envolvidas na realização de pesquisas nessas instituições; análise de práticas que conflitam e/ou dialogam com normativas legais.

Mais informações no site do evento.