Policiamento Comunitário no RJ e vida prisional na Irlanda do Norte são temas de dois debates no NEV

Aimée Muirhead
Aimée Muirhead, pesquisadora da Queen´s University, Irlanda do Norte

Aimée Muirhead, doutoranda em Sociologia na Queen’s University, em Belfast, Irlanda do Norte, apresentou sua pesquisa intitulada ““Sharing Prison Cells in Northen Ireland” no NEV no dia 14 de setembro de 2016. Muirhead estuda a sociologia da vida prisional, impacto da superpopulação carcerária e identidade na prisão.

A professora de Sociologia da Universidade Federal de Minas Gerais, Ludmila Ribeiro, também pesquisadora do Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP ), apresentou, no dia 15, a pesquisa “Os múltiplos significados do policiamento comunitário na cidade maravilhosa: de proximidade a normalização”. O tema “Policiamento Comunitário” é desenvolvido por Ribeiro desde 2011 em parceria com o Professor Márcio Feijó, da Fundação Getúlio Vargas (FGV) do Rio de Janeiro.

Na pesquisa apresentada no NEV, foram analisados surveys a respeito das percepções  sobre a atividade policial  de moradoras e moradores de vinte favelas no Rio de Janeiro a respeito das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). Ribeiro citou o projeto pioneiro das UPPs, o CIPOC  (Centro Integrado de Policiamento Comunitário), realizado em 1985, traçando uma linha do tempo sobre a história do policiamento comunitário no Rio.

Explore a temática nos artigos da autora:

O nascimento da polícia moderna: uma análise dos programas de policiamento comunitário implementados na cidade do Rio de Janeiro (1983-2012)

O que os policiais querem dizer ao empregarem o termo “Policiamento comunitário”: Uma análise dos discursos dos oficiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro – PMERJ