10/08/22: Unicamp concederá título de “Doutor Honoris Causa” a Paulo Sérgio Pinheiro

Os autores do parecer da proposta foram os professores Francisco Foot Hardman, do Instituto de Estudos da Linguagem, Armando Boito Jr e Angela Araújo, do IFCH. Os professores Luiz Gonzaga Belluzo, do Instituto de Economia, Maria Victoria Benevides, da Faculdade de Educação, e Sérgio Adorno, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP), formaram a comissão de especialistas que referendou a proposta.

 

Autor | Divulgação IFCH

Link original da publicação, de 9 de agosto/22: https://www.unicamp.br/unicamp/noticias/2022/08/08/consu-aprova-titulo-de-doutor-honoris-causa-para-paulo-sergio-pinheiro

 

Carreira diplomática

Paulo Sergio de Moraes Sarmento Pinheiro nasceu em 08 de janeiro de 1944, no Rio de Janeiro (RJ). Formado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em 1966, planejava ingressar na carreira diplomática no ano seguinte, mas foi reprovado no concurso para o Instituto Rio Branco.

Mudando-se para a França, ingressou na graduação em Sociologia do Institut d´Études Politiques de Paris (Sciences Po).  Fez doutorado em Estudos Políticos na Universidade Paris 1 – Pantheon Sorbonne, defendendo a tese La fin de la Première République au Bresil: crise politique et révolution.

Regressou ao Brasil em 1971, tornando-se um dos primeiros professores do IFCH, onde atuou por cerca de 15 anos. Em 1981, passou a trabalhar também na FFLCH da USP, faculdade em que ajudou a fundar, seis anos depois, o Núcleo de Estudos da Violência.

Em 1983, participou da constituição da Comissão Teotônio Vilela de Direitos Humanos (CTV), importante entidade na luta pelo fortalecimento dos direitos humanos e no combate às ações repressivas do Estado. Em 2018, envolveu-se com a fundação da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns.

Ele atuou junto à Organização das Nações Unidas (ONU), investigando a situação dos direitos humanos em Burundi, Síria, Timor-Leste e Myanmar. Paulo Sérgio trabalhou, ainda, na Comissão Interamericana de Direitos Humanos entre 2003 e 2011. Foi ministro da Secretaria de Estado de Direitos Humanos do governo Fernando Henrique Cardoso e integrou a Comissão Nacional da Verdade entre 2012 e 2014.

Coleção no AEL

O professor foi um dos idealizadores e fundadores do Arquivo Edgard Leuenroth (AEL) em 1974. Entre os anos de 2010 e 2013, doou ao arquivo o seu próprio acervo.

A coleção possui materiais com temas relativos ao mundo do trabalho, direitos humanos, violência, democracia, crimes de tortura no Brasil e na América Latina. Há livros, artigos, periódicos, relatórios para agências governamentais e organizações internacionais.

O acervo é composto por 4.566 livros, 311 periódicos, 46 folhetos, 45 fitas de vídeo e 22 rolos de microfilme contendo despachos consulares americanos relacionados ao movimento comunista no Brasil e ao movimento trabalhista dos anos 1930.

ATUALIDADES