NEV lança relatório de pesquisa “Tortura como marca cotidiana” em parceria com o CRISP/UFMG e a organização Dignity

Um novo estudo produzido pelo NEV em parceria com o CRISP/UFMG e a organização dinamarquesa Dignity foi lançado também na última quinta-feira, 1º de julho. O estudo, que está disponível no site do NEV (link) teve a participação de duas das autoras da pesquisa, Thais Lemos e Gorete Marques, que contaram também com a colaboração de Giane Silvestre, do NEV.

Em evento de lançamento do estudo, além das exposições das autoras, foram reunidas as perspectivas de Eliene Santos, do Movimento Mães de Manguinhos, que trouxe depoimentos fortes sobre o sofrimento causado pela ação do estado a jovens de periferia e familiares como ela. Henrik Ronsbo, da Dignity, apresentou o trabalho da instituição na Dinamarca e em outros países, apresentando um contexto internacional de enfrentamento à tortura. E o Professor Sergio Adorno, pelo NEV-USP, complementou as análises a respeito dos dados alarmantes apontados na pesquisa sobre a presença de tortura no cotidiano atual da vida na sociedade.

Além de ler a pesquisa, vale a pena rever o debate no canal do NEV: