Seleção de artigos e reportagens – “Crimes de Maio”

Maio de 2016 foi uma efeméride para de reflexão sobre os dez anos do que foi nomeado “Crimes de Maio”, ocorridos em 2006 em reação aos atentados cometidos pelo PCC. Os pesquisadores do Núcleo de Estudos da Violência já publicaram, há alguns anos, artigos sobre o tema. Registramos aqui artigos, capítulos de livro e também a produção da imprensa. 

Pesquisa

Criminalidade organizada nas prisões e os ataques do PCC
Sergio Adorno e Fernando Salla

Serpentes Negras: fantasma das Comissões de Solidariedade ou precursora do Primeiro Comando da Capital (PCC)?
Camila Caldeira Nunes Dias, Fernando Salla e Gustavo Higa

Organized Crime in Brazilian Prisons: The Example of the PCC  
Camila Caldeira Nunes Dias, Fernando Salla

Das Comissões de Solidariedade ao Primeiro Comando da Capital em São Paulo
Marcos César Alvarez, Camila Caldeira Nunes Dias e Fernando Salla

A Crise na Segurança Pública no Brasil
Fernando Salla

A singularidade do PCC no mundo do crime: construção da confiança e manutenção da hegemonia: Capítulo de livro, download indisponível 
Camila Caldeira Nunes Dias

A regulação dos conflitos pelo PCC no interior das prisões paulistas: redução da violência física, interdependência e controle social: Capítulo de livro, download indisponível
Camila Caldeira Nunes Dias

PCC: Hegemonia nas prisões e monopólio da violência. Capítulo de livro, download indisponível  
Camila Caldeira Nunes Dias

Dissertação de mestrado (em alemão): Über die Hegemonie des Primeiro Comando da Capital und das Sinken der Gewalt in São Paulo.  Alexander Höppner

Especiais

Nexo JornalOs traumas de 2006: qual o legado dos ataques de maio?
Camila Nunes dias

Ponte.orgEspecial: Crimes de Maio consagraram a vingança praticada por policiais

Folha de São Paulo – Especial sobre as mortes em ataque pela facção criminosa PCC (Primeiro Comanda da Capital) e pela Polícia Militar em Maio de 2016

O Estado de São Paulo –  Domínio do Crime – 10 anos dos Ataques do PCC


Recorte de tema: Mães e familiares

Familiares das vítimas continuam a reivindicar a investigação adequada das mortes ocorridas durante a ação das polícias Militar e Civil paulistas, em 2006, em reação aos atentados cometidos pelo PCC.

– Para as mães, a impunidade é o que faz com que esse tipo de crime siga ocorrendo e pesquisadores como Bruno Paes Manso, jornalista e membro do Núcleo de Estudos da Violência da USP, confirma: “Quando foram atacados os policiais se vingaram promovendo uma ação de extermínio. A impunidade, a sensação de vulnerabilidade do policial, o corporativismo e a falta de ação das autoridades deu vazão para esse tipo de ‘solução’. E permite que continue ocorrendo.” Leia mais: “Crimes de Maio ‘deram certo’, por isso seguem ocorrendo, diz mãe de vítima” (Rede Brasil Atual)

 – “Não saia hoje”, documentário da Modo Operante Produções e Canal Futura, dirigido por Susanna Lira, conta a história da luta das mães que perderam seus filhos – segundo a estatística oficial, 493 jovens morreram. A contagem não oficial conta mais de 600. Assista: https://goo.gl/5w7kGH