Tese sobre monitoramento eletrônico é premiada pela Capes

A tese “Faces e interfaces de um dispositivo tecnopenal: o monitoramento eletrônico de presos e presas no Brasil”, do pesquisador Ricardo Urquizas Campello, recebeu Menção Honrosa do Prêmio Capes de Tese 2020. O estudo foi orientado pelo coordenador do NEV, Marcos César Alvarez, no programa de pós-graduação em Sociologia da FFLCH-USP.

Com uma investigação sociológica das práticas de monitoração eletrônica de pessoas submetidas ao controle penal no contexto brasileiro, o trabalho analisa os aspectos sociais, políticos e epistemológicos de tal monitoramento. A tese se baseia no cruzamento entre pesquisa etnográfica e análise documental, ao demonstrar os efeitos de ampliação do sistema penal impulsionados pelo controle eletrônico e a conformação de novas técnicas de subjetivação do indivíduo penalizado, a partir da interface estabelecida entre corpo e a máquina.

Em linhas gerais, a tese se desenvolve a partir de três eixos investigativos: 1) a análise do processo de implementação da política de monitoração eletrônica de pessoas no Brasil, tendo por escopo a compreensão de seu desenvolvimento e formas de aplicação, confrontados aos anunciados propósitos de desencarceramento; 2) a investigação dos discursos e racionalidades que fundamentam a medida, articulados à emergência e consolidação de uma nova economia da pena e 3) os efeitos das práticas de monitoramento eletrônico sobre a vida e sobre o corpo de pessoas monitoradas, conectados aos processos de subjetivação desencadeados pelas novas tecnologias de controle penal.

Leia a tese completa e o artigo ” O carcereiros de si mesmo”, derivado da obra.